Facebook Pixel

Idéias, o blog de Marketing Digital da Tribeca

Aprenda como escrever um e-mail com design responsivo

E-mail Marketing Responsivo

Na hora de produzir qualquer material digital, seja um site ou um simples e-mail, é preciso levar em conta o conceito de design responsivo, ou seja, adaptar a visualização do conteúdo ao dispositivo em que ele será exibido.

Para isso, é necessário detectar quais são as características desses dispositivos — em geral, é utilizada o Media Queries (que, em tradução livre, significa consulta de mídia), um conjunto de estilos com base CSS3, que atuam como condições ou regras dinâmicas, em conformidade com o dispositivo que o leitor estiver utilizando naquele momento para visualizar o conteúdo, tornando a leitura adaptada para os diferentes tamanhos de tela.

Aprenda no post de hoje como usar o design responsivo em seus e-mails e melhorar a experiência do seu leitor:

Pense mobile

O percentual de e-mails abertos em dispositivos móveis já ultrapassa a casa dos 60%. Desses, ao menos 20% do total são abertos em tablets ou phablets. O número é bastante expressivo, levando em consideração que, a cada dia, as pessoas buscam otimizar o tempo gasto em atividades corriqueiras, e checar o e-mail é uma delas.

Portanto, diante desses números, muito provavelmente o seu público-alvo visualizará o seu e-mail através de um smartphone ou tablet. E, para isso, é importante considerar os diferentes tipos de dispositivos móveis, plataformas e telas, não importando a marca do aparelho, mas sim a sua base de funcionamento e exibição.

Passos para escrever um e-mail responsivo

  • Primeiramente, considere o tamanho mínimo da fonte para o texto.
  • No caso dos ícones clicáveis, o ideal é usar o tamanho mínimo de 44x44 pixels. Desta forma, você diminui a possibilidade do leitor clicar fora do ícone ou em outro local. Essa é uma forma de melhorar a experiência do usuário (UX).
  • Escolha medidas em percentual para que se ajustem à tela, independentemente do tamanho.
  • É recomendado utilizar apenas uma coluna, em razão do tamanho reduzido da tela. Do contrário, a leitura do usuário é prejudicada, pois os elementos gráficos serão exibidos aglomerados ou sobrepostos.

É de suma importância realizar testes de design responsivo nos diversos provedores de e-mails e em diferentes dispositivos móveis, para que tudo saia de acordo com o que foi idealizado e o conteúdo seja exibido sem erros ou deformidades da tela.

É fundamental ter em mente que oferecer um layout adequado aos diferentes meios de exibição é essencial para que o usuário tenha uma melhor experiência de acessibilidade, o que pode aumentar o número de cliques e a leitura — e, consequentemente, a conversão em vendas.

Menos é mais

O velho, bom e infalível e-mail com texto puro funciona bem para qualquer público. Busque um formato mais acessível, prático e direto — além de responsivo, é claro. O usuário está acostumado a ler e-mails com texto puro, pois a mensagem é mais “assimilável” e transmite objetividade. Um website com imagens, cores e vídeos é aceitável, mas, aos olhos de quem lê um e-mail, o texto simples e corrido é mais eficiente.

Respeite o desejo do unsubscribe

Eis aqui uma regrinha de ouro! O leitor tem o direito de não querer receber e-mails, boletins, informativos, newsletter ou qualquer outro tipo de comunicação direta em sua caixa de e-mails. Portanto, em cada uma de suas comunicações enviadas, deve haver um meio deste usuário descadastrar o endereço de e-mail da base de envio. Normalmente essa opção é disponibilizada ao final de cada mensagem, com alguma chamada do tipo: “Clique aqui se não deseja mais receber o nosso boletim”.

Essa é uma maneira mais amistosa de desfazer a comunicação entre as partes. O usuário deixa de receber um e-mail que não tem interesse, em vez de classificá-lo como spam, e você não corre o risco de ganhar a sua antipatia.

Inclua links para o seu site

Os links contidos no e-mail também devem apontar para um website igualmente responsivo. Do contrário, o usuário que está lendo o seu e-mail através do smartphone ou tablet e deseja saber mais informações sobre seu produto ou serviço não conseguirá acessar sua página, e ser redirecionado para páginas desconfiguradas ou ilegíveis é uma péssima experiência para os usuários, podendo fazer com que você perca uma venda.

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Compartilhe nos comentários e continue acompanhando o blog para mais dicas!